Saiba mais sobre Herpes Zóster

A Herpes Zóster é uma doença cheia de misticismos na sociedade e acaba que tanto as pessoas infectadas, quanto o público em geral, sabe muito pouco sobre ela. Assim, ao ver suas manifestações na pele as pessoas podem ter vários julgamentos equivocados. Nesse artigo você vai ser capaz de saber um pouco mais sobre essa questão.

Mas o que é Herpes Zóster?

O Herpes Zóster é uma infecção que ataca a pele é causada por causas virais, causando bolhas e dor local. Diferentemente do que se pensa, ela não ataca apenas os lábios ou genital, mas trata-se de uma situação que pode acometer qualquer região do corpo.

Essa condição tem sua manifestação atrelada ao aparecimento dos sintomas nas condições de uma faixa que surge em algum ponto do corpo. Especificamente o caso de Herpes Zóster trata-se de uma manifestação reincidente do vírus da catapora, que em algum momento deixa de ser latente e volta a ficar ativo.

Não é necessário alarde quando surgem os sintomas, pois apesar de ser muito incômodo não traz risco de vida. É interessante que a pessoa se vacine contra o vírus, e caso surjam os sintomas, tratar o mais rápido possível para evitar qualquer tipo de complicação.

O vídeo a seguir trata sobre o assunto e é interessante para aqueles que desejam saber mais:

Você também pode saber mais no Protocolo como acabar com herpes da Alessandra Soares, é um e-book bem completo sobre todos tipos de herpes e ensina como tratar..

 

Por que aparece o Herpes Zóster

Apesar de sua ligação direta com pessoas que já tiveram catapora alguma vez na vida, o aparecimento do Herpes Zóster ainda não possui explicação clara. O que mais se aproxima de condições reais é que ele aparece, principalmente, em pessoas com mais de 60 anos. Logo, imagina-se que ele pode ocorrer devido a alguma condição de debilidade e enfraquecimento do sistema imunológico.

É interessante desmistificar que esse vírus não é o mesmo que causa o herpes labial e genital, mas as pessoas tendem a associar tudo da mesma forma.

O vírus pode ser passado para outra pessoa, desde que essa não esteja imunizada e tenha contato com a infecção na pele, porém, antes de manifestar essa doença, primeiro ele desenvolve a catapora.

Quem corre risco de ter Herpes Zóster?

Antes de mais nada, é importante salientar a relação entre o Herpes Zóster e a catapora, logo pessoas imunizadas ou que nunca tiveram catapora, não tem, em primeiro caso, esse tipo de infecção.

Os fatores de risco são:

  • Idade, pois quanto mais velha for a pessoa, maior a possibilidade de manifestar a infecção.
  • Doenças que atrapalham o funcionamento do sistema imune.
  • Tratamentos e medicamentos que refletem no sistema imunológico causando alguma debilidade do organismo.

Sintomas do Herpes Zóster

Essa condição, em geral, acontece em fezes, e após a primeira, traz sintomas claros a se observar:

 

  • Primeira fase (antes do aparecimento visível das infecções): dor local, ardor, formigamento, cócegas, calafrios e desconforto gastrointestinal.
  • Segunda fase (aparecimento das infecções): surgimento das erupções visíveis, comumente dolorosas, com formação de crostas.

É importante lembrar, que independentemente de qual seja o caso, se sintomas desagradáveis começam a aparecer e prejudicar a sua qualidade de vida, a busca de aconselhamento médico é a mais acertada é aconselhável.

 

Mitos e verdades sobre a disfunção erétil

Sabemos que a disfunção erétil é considerada um tabu para maioria dos homens, mesmo atingindo 42% da população masculina. Ela é muito comum em homens de 40 a 69 anos, mas tem sido cada vez mais recorrente em homens mais jovens. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), a disfunção erétil atinge mais de 15 mil brasileiros.

A maior parte dos homens passa por muita resistência para tocar no assunto, e devido a isso a maior parte dos homens que sofrem com a impotência não sabem identificar suas principais casas.

Mitos e verdades sobre a impotência sexual

Pensando nessa questão, trouxemos uma sequência de mitos e verdades sobre as causas da disfunção erétil.

  1. Apenas problemas emocionais causam a disfunção erétil? [MITO]

Existem sim as causas emocionais como estresse, ansiedade e depressão, mas também existem as causas orgânicas, como cansaço e o excesso de álcool, além das físicas, que variam entre obesidade, tabagismo, diminuição dos níveis de testosterona, pressão alta, diabetes, colesterol alto e sedentarismo. Antes de continuar com os mitos e verdades, é importante que você assista ao vídeo do Dr. Marcos Lucon, onde ele fala sobre mitos e verdades da disfunção erétil.

  1. Pré diabetes e diabetes pode ajudar a causar a impotência sexual? [VERDADE]

Os níveis desregulados de glicose no sangue contribuem para que as paredes das artérias que irrigam o pênis engrossem, diminuindo o fluxo de sangue no membro e levando a falta de ereção. Clinicamente, mais da metade dos homens que tem diabetes podem desenvolver a impotência sexual.

  1. O colesterol e a pressão altos, podem afetar o desempenho sexual? [VERDADE]

Problemas circulatórios podem afetar o desempenho sexual, já que eles dificultam o fluxo sanguíneo no pênis. O colesterol alto ocasiona placas de gordura na artéria peniana, o que diminui o fluxo de sangue na área. Já a pressão alta causa a rigidez e o estreitamento dos vasos, o que também restringe a irrigação sanguínea no local. Além de tratar o colesterol, em casos assim também compensa tomar Power Blue, pois é um produto natural que ajuda a melhorar o fluxo.

  1. Impotência sexual é sinal de andropausa? [DEPENDE]

A andropausa é uma consequência masculina da idade e nela ocorre a diminuição de testosterona, o principal hormônio masculino responsável também pela ereção. Essa diminuição pode causar a disfunção erétil. Ela começa a surgir por volta dos 60 anos e pode sim atrapalhar as relações sexuais.

  1. Existe solução para a impotência sexual? [VERDADE]

Atitudes mais saudáveis, como a prática de exercícios físicos, alimentação balanceada, parar de fumar e consumo moderado de bebidas alcoólicas ajudam no combate a impotência sexual, especialmente nos casos de homens mais novos. Mas quando a situação se torna recorrente, é recomendado procurar um médico urologista para ter um diagnóstico e tratamento mais preciso.

4 Truques para ganhar massa muscular

Ganhar massa muscular pode ser um processo longo e demorado se não for feita a coisa certa. Porém, se não quer esperar por anos para conseguir um bom resultado, saiba que isso é possível.

Mas não coloque a sua saúde em risco e nem fique sujeito a lesões. Separamos alguns truques que podem ser bastante úteis na hora de definir o seu corpo.

 

 

  1. Use suplementos naturais

Os suplementos naturais estão no mercado e fazem um grande sucesso porque realmente conseguem trazer bons resultados. Eles devem ser usados em combinação com uma dieta balanceada e na dosagem certa.

São eles que fornecerão uma parte dos nutrientes para que os músculos possam crescer e garantir um corpo definido. Porém, se atente a composição para que eles não seja apenas mais uma cápsula sem utilidade.

  1. Se hidrate antes, durante e após o treino

Tem gente que acaba se preocupando demais com a alimentação e se esquece que é preciso se hidratar. Nosso corpo é formando com cerca de 70% de água e isso já demonstra a importância dessa substância.

Para que ocorra a síntese proteica – processo que fará seus músculos crescerem – é preciso estar bem hidratado. Como durante os exercícios ocorre a perda de líquidos, é recomendado que se tome, pelos menos, 10 copos de água por dia. Nos dias mais quentes, esse número deve aumentar.

A água também irá ajudar a eliminar as gorduras e diminuir o inchaço, fazendo com que os músculos fiquem mais evidentes.

  1. Use menos as máquinas

Existem equipamentos que podem te ajudar a ganhar massa muscular, porém, não trazem tanto resultado. O ideal é deixar um pouco a modernidade de lado e optar pelos pesos livres, halteres e barras.

Eles vão garantir que os músculos trabalhem melhor e assim consigam crescer de forma mais rápida. Porém, é preciso fazer os exercícios de maneira correta, mantendo a postura para prevenir lesões.

  1. Tenha a ajuda de um profissional

Não adianta querer aprender apenas na internet ou com o que já viu nos filmes, um profissional é sempre a melhor opção. Cada pessoa tem uma necessidade diferente e um instrutor conseguirá identificar isso e fazer um treino personalizado.

Dessa forma é possível trabalhar os músculos que se deseja na intensidade correta e garantir o tempo de descanso. Isso fará com que o ganho muscular ocorra mais rápido e com resultados que irão te surpreender (e o melhor) sem lesões.